Tarô: sua estrutura e suas origens

Origens do Tarô

Apesar do empenho dos estudiosos e da boa literatura existente sobre o assunto, a origem do tarô permanece na obscuridade. As civilizações egípcia, chinesa, indiana e hebraica, entre outras, foram indicadas como as que teriam, em tempos remotos, concebido o tarô como um legado divino. Há os que situam sua invenção na Europa medieval, com o intuito de servir de diversão à corte real, e outros que o conceituam como uma nova arte de expressão. Teorias e crenças à parte, ninguém sabe ao certo de onde veio ou, exatamente, o porquê de sua invenção. Um fato inquestionável é que os mais antigos tarôs e documentos referentes a esse jogo datam do final do século XIV. Não há nenhum registro, pintura, literatura ou qualquer coisa que se assemelhe ao tarô, ou a jogos de carta em geral, muito anterior à época da Renascença.

O estudo das ciências ocultas e do esoterismo, de uma maneira geral, leva ao autoconhecimento. Quem pesquisa o assunto tem grandes chances de entender a complexa vida humana e espiritual, mas observe: isso se dá por meio de seu estudo e não somente dos jogos. Posso assegurar que quem estuda o tarô ou qualquer outro sistema, em sua estrutura e simbologia, tende a se autoconhecer e a descobrir novos horizontes pessoais. Porém, toda consulta oracular (jogos, mapas) apenas orienta sobre uma direção pessoal e/ou esclarece o momento de vida; entretanto, é impossível separar para o estudante, no início de seu contato com o tarô, o que é o autoconhecimento e o que são os jogos – somente com o tempo se percebe um e outro. Embora todos os oráculos levem ao autoconhecimento, no aspecto da consulta eles se subdividem e se qualificam para determinadas áreas da vida.

Estrutura do Tarô clássico

O Tarô contém 78 arcanos que se dividem em dois conjuntos: 22 arcanos principais e 56 arcanos auxiliares. O primeiro grupo se reporta ao mundo subjetivo e idealizado, o segundo, ao universo concreto e formativo. A integração dos 78 arcanos está baseada na ideia do macro microcosmo. Observe a relação: a intenção da psique ou do destino (arcanos maiores) numa interação com seus objetivos (arcanos menores/naipe) se manifesta numa personalidade ou situação (arcanos menores/corte), para realizar um plano de ação ou uma trajetória natural (arcanos menores/ numerados).

As cartas do tarô obedecem a uma sequência simbólica que expressa o universo humano. Cada arcano contém em si um atributo essencial, uma chave que sintetiza todos os desdobramentos. Os arcanos principais contêm quatro interpretações básicas que durante um jogo somente uma será observada; os arcanos auxiliares, independentemente da questão, terão apenas uma única interpretação.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo

Selecione uma Categoria