fbpx

Leitura e interpretação do Tarô dos Anjos

capa_taro anjos

O Tarô é, entre todos os oráculos, um dos que exerce maior fascínio sobre as pessoas. As cartas do Tarô vêm chamando a atenção por mais de quinhentos anos. Existem muitas teorias sobre sua origem: para alguns, ele vem dos rituais religiosos e dos símbolos do antigo Egito, para outros, surgiu dos cultos misteriosos dos Mitras, nos primeiros séculos da Era Cristã.

Acredita-se que as cartas do Tarô chegaram à Europa somente no Século 14, levadas pelos cruzados ou sarracenos. Uma teoria muito difundida, divulgada nos tempos modernos pelo ocultista francês Papus, afirma que o Tarô foi introduzido nessa região pelos ciganos originários da Ásia Central. O primeiro relato de que se tem registro a respeito do Tarô é de um monge alemão que, em 1377, em Brefeld, na Suíça, escreveu um ensaio no qual falava sobre um “jogo de cartas” que chegara a seu conhecimento. Segundo Antoine Court de Gébelin, o Tarô nada mais é que o lendário Livro de Thoth, a chave de toda a sabedoria antiga. Para ele, a palavra Tarô vem do antigo idioma egípcio, na qual Tar, significa caminho, rota e rho, significa rei, real. Sua definição seria então “caminho real” ou “caminho verdadeiro”.

A última versão do Tarô foi desenhada no Século 18, em Marselha, por um ilustrador chamado Fautrier. Durante os séculos 18 e 19, devido à grande repressão da Igreja que associava a leitura do Tarô às coisas do demônio, as cartas foram relegadas ao esquecimento e já não eram acessíveis ao público. Em consequência disto, essas cartas começaram a ser alteradas de acordo com as crenças daqueles que detinham o poder. Dessa maneira, as cartas do Tarô que conhecemos hoje, são influenciadas por tudo: do pensamento cabalístico às lendas da Távola Redonda; das antigas práticas de magia, até o simbolismo Rosa-Cruz de nossos dias.

O Tarô tradicional é composto por 78 lâminas, das quais 56 são chamadas de Arcanos Menores e 22 de Arcanos Maiores. Entretanto, o Tarô dos Anjos é composto por 42 lâminas, sendo 22 Arcanos Maiores e 20 Arcanos Menores. Trabalhando cabalisticamente com as duas quantidades diferentes de lâminas, podemos perceber que na verdade não estaremos perdendo nada ao usarmos 42 cartas:

  • Tarô Tradicional (78 cartas) 7 + 8 = 15 = 1 + 5 = 6
  • Tarô dos Anjos (42 cartas) 4 + 2 = 6

A soma é a mesma, nada se perde.

O objetivo deste trabalho é desmistificar a leitura do Tarô, tornando-a simples e acessível a qualquer pessoa interessada.

O jogo do Tarô se baseia no simbolismo de suas imagens, que surgiram há séculos, e carregam consigo o poder de libertar do inconsciente de cada um, as experiências ancestrais nele contidas. Desta forma, as cartas não expressam fatos concretos e predestinados, mas, sim, captam o momento, demonstrando influências e oportunidades que serão efetivamente concretizadas se forem compreendidas e trabalhadas.

Cabe ao tarólogo viajar na grande aventura interpretativa e transformar seus sonhos em realizações. Qualquer pessoa pode se tornar apta a entrar nesta aventura, basta apenas muita dedicação e seriedade.

Além do benefício próprio que podemos conseguir jogando o Tarô, a experiência de jogá-lo para outras pessoas nos dá também um profundo sentimento de humildade, pelo privilégio de podermos servir ao próximo, como um canal de informações sobre as questões que afligem aqueles que nos procuram. Lentamente, você adquirirá confiança ao virar as cartas, e se algumas vezes sentir medo, não se preocupe, pois isso representa o respeito que temos pelo Tarô. Apresente sempre uma consulta angelical, suave, fluídica; não transmita alarme com acontecimentos ruins, nem excite as pessoas com previsões boas. Você tem a obrigação moral de falar a verdade, mas tenha em mente a necessidade de proteger seus consulentes de preocupações exageradas ou inconvenientes – a moderação e o bom senso devem estar sempre em suas consultas.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo

Selecione uma Categoria