Sabedoria das Runas

Sabedoria das Runas é um guia de estudo sobre a runologia – ciência que estuda as inscrições, as transcrições e as traduções de objetos que tenham runas gravadas – uma parte do conhecimento essencial para a compreensão dos idiomas derivados do Norrœnt (Nórdico Antigo).
Rúnar, o nome original do conjunto de letras arcanas da Era Viking, significa conselho, letra, insígnia, segredo ou confidência. São chamadas de “rúnar” os sistemas de escrita que evoluíram a partir do Elder Fuþark, um sistema de escrita rúnica que possui mais de dois mil anos.
O livro preserva 5 sistemas rúnicos principais, de diferentes épocas da história, e contempla a cultura escrita dos povos pagãos da Suécia, da Noruega, da Dinamarca, da Islândia e da Inglaterra.
Traduções de textos antigos e objetos datados do século V até o século XV nos permitem entender não apenas os elementos espirituais que envolvem as rúnar, mas também seus usos práticos no dia a dia, o seu papel na preservação da arte escrita mágica, a manutenção dos elementos religiosos do Paganismo Nórdico e os próprios idiomas nórdicos, em tempos onde o latim começou a ser introduzido como um elemento de conversão aos costumes antigos.
As rúnar são poderosas letras mágicas que nos remetem ao divino; um legado dos Deuses aos povos nórdicos. O conhecimento antigo garante que as mensagens e os sons projetados por nossos espíritos se elevem ao Universo. A criação dessas insígnias arcanas intrigam historiadores, religiosos, místicos, linguistas e arqueólogos, que ainda estão em busca de desvendar todos os segredos que os sistemas rúnicos protegem.
O autor buscou as raízes ancestrais, estudando com nativos da Noruega, da Dinamarca, da Suécia e da Islândia, para trazer ao público o conhecimento autêntico. As rúnar são abordadas nas salas de aula nos países escandinavos, e são tratadas como um patrimônio histórico e também sagrado. As pedras rúnicas erguidas em tempos antigos são preservadas pelos nativos, e estudadas por runologistas que buscam aprender a história dos ancestrais.

São também poderosos elementos de conhecimento do “Eu”. Não faltam exemplos de pedras rúnicas que se iniciam com a palavra “Ek”, que significa “Eu” desde o Urnordisk, o Proto Nórdico, ancestral dos idiomas nórdicos, e é reconhecido como “Ég”, no islandês moderno. Ao consultar a sabedoria das rúnar, fazemos uma viagem não apenas ao passado, mas para dentro de nós, revendo nossos conceitos físicos e espirituais, e aprendendo com povos cujos Deuses eram tão complexos quanto suas próprias letras.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Logo

Selecione uma Categoria